+55 (51) 3026 8507 [email protected]

No post da semana, você poderá melhorar ainda mais seu conhecimento sobre biomecânica, fisioterapia e análise de movimento!

Todos os vídeos são bem curtos, mas contém informações muito importantes para todos que desejam se tornar um profissional ainda melhor.

Os vídeos abaixo foram recortados das lives realizadas no mês de agosto, no canal da KINETEC https://www.youtube.com/channel/UCL1ip2qgJDdibYMzhiTckUw

Os profissionais da fisioterapia que aparecem nos vídeos podem contribuir bastante com o seu desenvolvimento profissional! Dá uma olhada abaixo!

Guilherme Brodt Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEFID – UFRGS; 2011). É mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano Humano (PPGCMH – UFRGS; 2013), com a temática de Investigação da arquitetura muscular de idosos e estimativa de força muscular; é Doutorado pelo PPGCM (2019), com a temática de investigação da influência do esporte na função vestibular e sistemas de controle do equilíbrio de surdos e ouvintes, é professor na Universidade de Caxias do Sul (UCS) na Área do Conhecimento de Ciências da Vida no curso de Educação Física nas disciplinas de Fisiologia do exercício, Treinamento Esportivo I e Treinamento para populações de risco. Atua como cinesiologista e biomecânico na construção de laudos de análise clínica da marcha no Instituto de Medicina do Esporte da UCS. É membro fundador e Diretor de Comunicações da Sociedade Brasileira de Análise Clínica da Marcha e do Movimento Humano. É professor dos cursos online de biomecânica da Marcha e de Saltos. Presta consultoria em serviço de avaliação biomecânica. Atua e Pesquisa na área de Educação Física, principalmente em temas como Biomecânica, Treinamento, e Saúde, com enfoque no estudo e análise do aprimoramento de capacidades físicas e seus efeitos em diversas populações.

Nesse vídeo, Guilherme discorre sobre o raciocínio clínico necessário para avaliar a corrida dos pacientes. A corrida é um aspecto importantíssimo da fisioterapia, e fica claro no vídeo que equipamentos como o BAIOBIT auxiliam muito no desenvolvimento de um raciocínio clínico efetivo e benéfico para o profissional e o paciente.

A Juliane Heineck é sócia do VITTA, graduada em Fisioterapia pelo IPA (1994). Pós-graduada em Fisioterapia pela USP (1995). Possui especialização e cursos nas seguintes áreas: Projeto Convergências por Ângela Santos – SP (1998), Reciclagem em 2001 em Reeducação Postural Global, Formação em Terapia Manual segundo Marcel Bienfait (2005), Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) 2000, Taping Funcional (2012) e Formação no Conceito Mulligan (2014). Acumula 23 anos de experiência na área de Fisioterapia e coordenação da equipe clínica.

Nesse vídeo, Juliane explica como inserir novas tecnologias, como o BAIOBIT, em análises clínicas já estabelecidas. Esse assunto é importante, porque as vezes a mudança pode ser complicada para quem já está acostumado com o jeito ultrapassado de avaliar e reabilitar os pacientes.

Se a Priscilla Bispo (fisioterapeuta) tivesse que indicar o BAIOBIT para um amigo, o que ela falaria?

O primeiro ponto, segundo ela, é que a gente não tem como prescrever sem avaliar; isso seria dar um tiro no escuro.

Em relação ao profissional de educação fisica, ao contrario da fisioterapia, as vezes trabalha com pacientes por tempos muito longos, uma continuidade de trabalho.

Já na Fisioterapia, geralmente o paciente passa por um processo, e depois de finalizado com sucesso, ele para de ser tratado.

Sem a avaliação, você pode perder muito tempo, e as vezes, a lacuna que você tem em fazer com que você realmente faça com que o cliente aceite o seu trabalho e permaneça com você pode ser fechada.