+55 (51) 3026 8507 [email protected]

Se você é fisioterapeuta, tem uma clínica de reabilitação ou até mesmo é um treinador que trabalha com atletas de alta performance, talvez já tenha ficado na dúvida: será mesmo que eu estou fazendo uma interpretação correta através da Baropodometria?

Nesse texto, além de acabar com essa dúvida, nós vamos te mostrar um método que vai mudar o jogo na hora de interpretar os dados dos seus pacientes na plataforma de baropodometria, quer descobrir qual é? Então continue comigo até o final deste texto.
Antes de mais nada, me diga: Você tem deixado para avaliar o seu paciente somente quando ele sobe na plataforma de baropodometria? Pode parecer um procedimento básico, mas que muitos profissionais deixam de fazer, que é a anamnese do paciente que estamos atendendo.

Anamnese do paciente antes da plataforma de Baropodometria.

Se você pula a anamnese e já parte para a Baropodometria, pode achar que essa etapa inicial não é tão relevante. Fique tranquilo, essa não é mais uma etapa para cumprir protocolo. Esse é um processo simples, que através de uma conversa e algumas simples perguntas, você já consegue entender as queixas e o real motivo que fez com que o paciente chegasse até a sua clínica ou fez com que ele buscasse o seu serviço.

Essa simples anamnese inicial faz com que você consiga analisar e interpretar de outra forma todos os dados que vão ser passados através da plataforma de baropodometria.

Outra etapa negligenciada na avaliação do paciente

O próximo passo é a orientação. Sim, orientar! importante você informar ao seu paciente como vai funcionar todo o processo, o que você como especialista vai observar e analisar, tudo isso transmite mais credibilidade e confiança ao seu paciente.

Se coloque no lugar do paciente. Eu não sei você, mas eu me sinto muito mais confiante quando contrato qualquer profissional que me deixa a parte de tudo que está acontecendo. E acredite, com o seu paciente não será diferente.

Hora da Baropodometria

Depois da anamnese e de deixar tudo às claras com o seu paciente. O terceiro passo, é a avaliação global. Que está dividida em 2 etapas.

1ª Avaliação estática

Com o paciente parado em cima da plataforma, é feita a avaliação e análise dos pés, que podem ser classificados como plano, cavo ou normal. Além disso, é observado também as áreas de maior pressão e o centro de gravidade. Assim podemos identificar alterações na postura e estrutura do corpo do nosso paciente.

Baropodometria

Outra informação bem importante que conseguimos extrair da avaliação estática é a rotação podálica, às vezes alguns pacientes chegam na nossa clínica se queixando de dores no quadril, e sabendo interpretar bem essa informação podemos identificar melhor as formas de tratamento e onde deve ser feito.

2ª Avaliação dinâmica

Na segunda parte, o paciente se mantém em movimento sob a plataforma, e os dados informados pelo baropodômetro irão revelar o tipo de pisada do paciente, como por exemplo: pronada, supinada ou normal. Além de possíveis alterações biomecânicas.

Baropodometria

Além da Baropodometria

Agora que já falamos sobre a parte técnica, e vimos a Baropodometria, vamos entrar um pouco nos padrões que você pode aplicar que vão te ajudar no dia a dia de atendimento.

Mantenha sempre um padrão e uma forma de atendimento, crie uma rotina e um checklist de padrões a serem observados e padrões de comportamentos analisados, isso fará com que você consiga identificar e solucionar de forma mais eficaz e precisa cada problema dos seus pacientes.

Por fim, seja claro e preciso no laudo que entregar, é comum pacientes procurarem outros especialistas para realizarem o processo de tratamento, e mesmo que não seja com você, entregue sempre o seu melhor, isso fará com que sua credibilidade com outros profissionais cresça também.

Já que entramos neste assunto, nós temos um vídeo no nosso canal que fala sobre Marketing para profissionais fecharem tratamentos de alto valor. Ele está disponível para você aqui neste link.