+55 (51) 3026 8507 contato@kinetec.com.br
Primeiro de tudo é preciso ter consciência de que o paciente procura o dentista ou cirurgião dentista por motivos de:
Dor, problemas estruturais ou por pura estética.

Nem sempre o paciente terá noção de que a manutenção e controle é necessária e acaba por não aparecer mais no consultório.

Normalmente o fluxo de trabalho do dentista, parte de uma análise inicial do paciente para ser feito um diagnóstico e após isso é possível fazer um planejamento da terapia, sendo a terapia um dos pontos mais importantes do processo.

O ponto crucial para executar uma boa terapia é o diagnóstico, sem este preparo fica muito mais difícil.

Tendo um resultado comprovado sobre o problema do paciente, ele irá passar por todo um procedimento para poder resolver esta problemática e acaba ficando com dois questionamentos:

•Porque aconteceu?
•Será que vai acontecer de novo?

Isto acontece porque o paciente é leigo, ele não tem o conhecimento que o doutor tem e ele não quer ter que passar novamente pelo problema que está enfrentando.

Já para o cirurgião dentista ficam mais duas dúvidas:

•Será que ajustei bem a oclusão?
•Será que o paciente vai se adaptar?

Essas dúvidas estão relacionadas a questões funcionais como o paciente ter ou não uma oclusão equilibrada ou como ele mastiga.

É importante saber se a reabilitação está funcionando na estrutura, na estética e na função, sendo a função uma das maiores dúvidas, pois na estrutura e na estética é possível a utilização de equipamentos que auxiliam nisso, proporcionando uma visão detalhada, porém é a função que trabalha em cima tanto da estrutura quanto da estética.

Pensando na função, temos o instrumento perfeito para ajudar nisso, o Teethan, o equipamento que vai poder quantificar a qualidade desta função numericamente e também a parte da mastigação.
Temos a possibilidade de medir esta função e então poder comunicar ao paciente que não entende sobre esses aspectos, de uma maneira rápida e prática.
É possível mostrar, durante todo o tratamento, as causas que geraram a condição do paciente, para dar mais segurança a ele.
E no final do tratamento, ainda pode ser mostrado como será finalizado o tratamento em equilíbrio funcionalmente.