+55 (51) 3026 8507 [email protected]

“Tênis de corridas gratuitos” Já imaginou uma propaganda de grandes marcas esportivas com essa chamada? É isso que o Barefoot Running está prestes a te proporcionar.

Quem diria que uma técnica simples e digamos que bem antiga, poderia estar de volta. Afinal, correr descalço está no nosso DNA desde o homem das cavernas. Então, o que parece uma “novidade” não é tão novo assim. Há cerca de 2 milhões de anos, o homem já praticava o Barefoot Running!

Mas, antes de você jogar seu tênis de corrida fora, e começar a praticar essa técnica de corrida milenar, vamos entender um pouco mais sobre o Barefoot Running.

Onde surgiu o Barefoot Running

É difícil dizer onde surgiu o Barefoot Running. Afinal, correr descalço não foi algo propriamente inventado. 

Acontece que o livro “Nascido para Correr” de Christopher McDougall trouxe a tona a curiosidade de milhares de corredores espalhados pelo mundo, com um simples questionamento: Como podiam índios mexicanos correr ultramaratonas apenas com sandálias de borracha e ter menos lesões que atletas com super calçados com a mais moderna tecnologia de amortecimento?

Solados com excesso de amortecimento impedem que o corredor sinta as mudanças sutis do impacto e se adapte a elas, afirmam os defensores do Barefoot Running. Essa teoria ganhou ainda mais força com Daniel Lieberman, professor de biologia evolutiva humana em Harvard, em testes com corredores no Quênia, em 2009, ele se convenceu de que a corrida com pés descalços estimulava a aterrissagem com o antepé, o que, por sua vez, reduzia o impacto, em relação à aterrissagem com o calcanhar feita com tênis.

O fato é que ainda não temos estudos o suficiente para definir se correr ou não descalço é realmente a melhor opção para você. Mas, levantamos alguns prós e contras dessa técnica que podem te ajudar nessa escolha.

Prós do Barefoot Running

Ao correr descalço é possível aumentar o contato do pé com o solo e, consequentemente, aumentar o trabalho dos músculos do pé e da panturrilha, pois quando corrermos com tênis, muitas vezes não aplicamos a técnica correta e sobrecarregamos demais a ponta do pé ou o calcanhar. Já sem o calçado, é necessário apoiar o médio pé, ou seja, a parte do meio.

Alguns ortopedistas, acrescentam, ainda que quem correr descalço consegue melhorar o gasto energético e prevenir lesões por impacto, principalmente na parte anterior dos joelhos, além de reduzir chances de inflamações, como a fascite plantar.

Além disso, temos uma melhora na percepção corporal no espaço, e um aumento no nosso equilíbrio, o que evita lesões e quedas indesejadas.

Barefoot Running

Mas, nem tudo são flores no Barefoot Running, e temos também os contras dessa técnica.

Riscos do Barefoot Running

Ainda segundo alguns ortopedistas, o principal risco dessa prática é o risco de lesões no tendão de Aquiles, pois ele pode ser hiper solicitado em caso de uma técnica ruim de corrida, quando a pessoa corre só com a parte da frente do pé.

Estudos também mostram que o risco de fraturas por estresse nos pés aumenta quando se abandona o calçado de uma forma repentina, principalmente pessoas em tratamento para neuropatia diabética, que pode reduzir a sensação nos pés. Por isso, a ajuda profissional é imprescindível neste caso.

Barefoot Running

Fique atento também, essa técnica pode deixar a sola dos pés mais grossa e com bolhas. Sem falar que a sensibilidade também existe. Quem nunca pisou em uma pedra, um espinho ou aquelas peças de brinquedo dos filhos? Acho que você sabe exatamente a dor que é, não é mesmo? Por isso, a ajuda profissional e a transição leve e programada é tão importante, caso você esteja pensando em começar. 

E agora, o que devo fazer? Correr descalço ou não?

Infelizmente não temos ainda uma resposta exata para te dar, mas podemos te dar alguns conselhos caso queira ser um adepto do Barefoot Running: Comece devagar!

A regra de ouro número 1 é buscar ajuda profissional.

Além disso, não jogue o seu tênis fora, tentei conciliar as duas técnicas de corrida, comece fazendo treinos cruzados, com distâncias menores descalços, vá se adaptando aos poucos, dê tempo do seu corpo ir se acostumando.

Hoje existem várias opções de tênis minimalistas, onde você pode ir fazendo essa transição de uma forma mais segura e eficiente.

Vale lembrar, foque na sua técnica de corrida antes de mais nada, pois independente da maneira que você vai correr, com calçado ou descalço, se você não tiver uma boa orientação técnica de corrida, você pode ter sérias lesões, calçado ou não.

Se você é profissional e está buscando se aperfeiçoar, conheça o curso de corrida focado em biomecânica do esporte. Esse curso vai te ajudar a quantificar a sua avaliação de corrida e se destacar no mercado. Clique aqui e saiba mais.