+55 (51) 3377 6896 contato@kinetec.com.br

Conforme o Doutor e Biomecanicista Guilherme Brodt, não é aconselhável mudar a estratégia de corrida do atleta de uma hora para outra. Porém, existem atletas que conseguem escolher a sua própria forma de corrida. 

Devido à análise de vídeo, a qual está sendo muito utilizada em maratonas e em corridas de ruas, é possível observar que há atletas que começam com um padrão de corrida e terminam com outro.

Dessa forma, dependendo do nível de preparo do corredor, a mudança de padrão de corrida pode ser uma estratégia utilizada pelo próprio atleta. No entanto, no momento que o atleta apresenta mais condicionamento, ele pode escolher um padrão de pisada e depois autodeterminar. 

Esse assunto se relaciona com o músculo mais atenuador de impacto durante a corrida, o quadríceps. Esse músculo é considerado a grande mola do corpo para impactos.

Segundo o Biomecanicista, quando um atleta está apresentando sintomas de alguma lesão que tenha relação com a força de contato femoropatelar, ou seja, a dor anterior do joelho, o estresse da banda iliotibial e algumas outras lesões que tenham dor nesta região, o primeiro passo é alterar o condicionamento.

Para alterar o condicionamento do atleta, pode-se, por exemplo, incentivar o fortalecimento do quadríceps femoral, pois ele é uma mola muito importante para dissipar a força que chega nos membros inferiores. 

Ainda, pode-se realizar uma estratégia mais conservadora, evitando assim a alteração da corrida de uma hora para outra. É importante se certificar de que isso não é só uma questão de o atleta não estar utilizando a musculatura adequadamente.

Portanto, Guilherme aconselha que sejam feitos exercícios parecidos com a corrida em que se use muito o quadríceps para que seja possível ativar esse músculo e torná-lo ainda mais forte para amortecer a corrida.